2008 - Berçário - Descobrindo o corpo através do movimento e da brincadeira

 

Descobrindo o corpo através do movimento e da brincadeira

Berçário



Diretora: Cladis Lengler Lermen
Coordenadora: Raquel Cristina Wolter
Professoras: Maria Adelia Vieira
                         Sueli Hahn
                         Liete T. H. Fukuhara



Justificativa

A hora de brincar é muito mais do que um momento de recreação e deve fazer parte da rotina escolar da criança. Conforme Sacchetto a brincadeira possibilita o desenvolvimento de aptidões físicas, mentais e emocionais. Uma infância estimulante com brincadeiras apropriadas a cada etapa de desenvolvimento, em um ambiente adequado e motivador, estabelecerá a qualidade de experiências que serão vividas pela criança e contribuirá para a formação de uma personalidade íntegra e completa, fato que ocorre até os seis anos de idade.

As brincadeiras lúdicas colocam a criança em contato com os sentimentos, o que a faz amadurecer e colabora em experiências da vida adulta. Algumas brincadeiras que envolvem o meio ambiente tornam a criança ativa e criativa. Através do corre-corre, sobe e desce, entra e sai... a criança explora e amplia a coordenação, o desenvolvimento social, emocional, interpessoal, intrapessoal, corporal cinestésico, lógico-matemático, musical, lingüística, espacial-visual.

Segundo Rizzo, a possibilidade de brincar permite a criança a perceber e incorporar os movimentos, a forma do seu corpo no espaço, o peso de seu corpo, aperfeiçoando assim a movimentação intencional de todo o seu corpo na exploração e conhecimento dele próprio e de todo o ambiente.

Durante as atividades, as crianças são expostas a diferentes tipos de brinquedos e a diferentes localidades, para que possam escolher aquilo que mais a atraem e onde se sintam melhor. Cabe a professora a tarefa de estimular as escolhas da criança valorizando sua individualidade.

 

A educação tem como papel essencial, conferir a todos os seres humanos a liberdade de pensamento, discernimento, sentimentos e imaginação de que necessitam para desenvolver os seus talentos e permanecerem, tanto quanto possíveis donos de seu próprio destino.(DELOURS, 1999, p. 100)

 

A atuação da professora deverá possibilitar a criança o sentir-se bem no ambiente em que se encontra através de propostas inovadoras que valorizem o corpo através do lúdico e o sócio-afetivo.

Conforme Coello o trabalho com o corpo e o movimento, permite explorar com a criança o conhecimento de si , sua identidade e autonomia, o conhecimento do meio físico e social e o conhecimento das relações com o meio. (pág. 27, 2000).

 

Para adquirir o raciocínio lógico-matemático ou para aprender qualquer outra espécie de conteúdo o caminho obrigatório é a passagem pelo movimento, a raiz de toda construção de conhecimentos. Só uma visão elaborada de si mesmo, uma compreensão do mundo que a cerca e uma sintonia com esse mundo construirão os fundamentos para aquisições futuras. (COELLO, pág.28, 2000).

 

O movimento, a brincadeira são instrumentos de aquisição para a compreensão do mundo, para a construção de conhecimentos e apresentam um papel fundamental nas relações entre a criança e o mundo exterior, por isso consideramos este tema essencial para abordar os conteúdos na faixa etária que corresponde ao nível do berçário.

Objetivo geral

Explorar, incentivar e vivenciar experiências sensoriais e corporais através de atividades lúdicas, para ampliar a capacidade exploratória e investigativa natural, o conhecimento de si, do outro, e do mundo.

Objetivos específicos

  • Favorecer a exploração e a expressão corporal, utilizando as diversas formas de linguagens;
  • Possibilitar a familiarização com a imagem do próprio corpo;
  • Incentivar a prática da linguagem oral;
  • Aprender as regras de convivência;
  • Possibilitar a expressão de sensações e ritmos corporais por meio de gestos, posturas e movimentos;
  • Estimular diferentes posturas corporais, como se sentar em diferentes inclinações, deitar-se em diferentes posições, ficar em pé apoiado na planta dos pés com ou sem ajuda;
  • Propiciar a percepção das diferentes direções;
  • Explorar o equilíbrio estático (dois pés, um pé, sobre objetos) e dinâmico (sem obstáculos, com obstáculos);
  • Explorar coordenação motora ampla (tônus muscular, percepção cinestésica, coordenação viso-motora);
  • Explorar coordenação motora fina;
  • Trabalhar o relaxamento global e segmentado (mãos, braços, pés, cabeça, pescoço, tronco);
  • Estimular percepção visual, olfativa, auditiva, gustativa, termo-tátil e espacial;
  • Estimular a percepção das sensações, limites, potencialidades do próprio corpo.

Conteúdos conceituais

  • Viabilização do conhecimento e consciência do corpo, sua importância, suas capacidades e limites;
  • Ampliação do vocabulário;
  • Ampliação progressiva da destreza para deslocar-se no espaço por meio da possibilidade constante de arrastar-se, engatinhar, rolar, andar, correr e saltar;
  • Aperfeiçoamento dos gestos relacionados com a preensão, o encaixe, o traçado no desenho, o lançamento, através da experimentação e utilização de suas habilidades manuais em diversas situações cotidianas;
  • Diferenciação de atitudes positivas e negativas;
  • Reconhecimento de imagens e fotos;
  • Reconhecimento progressivo dos segmentos e elementos do próprio corpo por meio da exploração, das brincadeiras e da interação com o outro.

Conteúdos atitudinais

  • Valorização e respeito a si próprio e aos colegas;
  • Valorizar brincadeiras que envolvam simultaneamente o canto e o movimento;
  • Construção da autonomia progressiva (higiene, alimentação, organização dos espaços...)
  • Construção de vínculos afetivos;
  • Valorização do ambiente institucional, pertences e funcionários;
  • Diferenciação de atitudes positivas e negativas;
  • Valorização da auto-estima e da interação social;
  • Estimular o senso crítico;
  • Aprendizado de brincadeiras que expressem emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;
  • Convivência em grupo;
  • Respeitar a si mesmo e ao outro;
  • Participação na realização de pequenas tarefas do cotidiano que envolva ações de cooperação, solidariedade e ajuda na relação com o outro;
  • Participação em situações que interagem músicas, canções, jogos cantados, rítmicos e movimento.

Conteúdos procedimentais

  • Reconhecer a importância dos bons hábitos de higiene corporal;
  • Reconhecer a importância dos cuidados com o outro, do espaço coletivo;
  • Aprender a expressar-se corporalmente e verbalmente;
  • Reconhecer atitudes positivas para convivência em grupo;
  • Conhecer o corpo, sua importância, suas capacidades e limites;
  • Aprender a expressar as emoções, sentimentos, desejos e necessidades;
  • Enriquecer de forma gradativa o vocabulário;
  • Aprender a alimentar-se com autonomia;
  • Aperfeiçoar as coordenações motoras, ampla e fina.

Desenvolvimento

  • Atividades que oportunizem a criança utilizar o corpo de diversos modos;
  • Oportunizar brincadeiras que envolvam a expressão de emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;
  • Manuseio de bolas de diversas cores e tamanhos;
  • Oportunizar contatos sensoriais diversificados;
  • Exploração de diversas formas através do manuseio bonecos, carrinhos, jogos de encaixe;
  • Despertar curiosidades através do saco-supresa;
  • Exploração de livros e objetos com textura, temperaturas, tamanhos, e formas diferentes;
  • Executar sons variados, emitidos pela natureza e outros;
  • Degustar alimentos: doce, azedo, amargo, salgado;
  • Confecção de massinha;
  • Confecção de chocalhos;
  • Atividades que envolvam diversas experiências sonoras(ruídos do próprio corpo e de objetos, instrumentos, do ambiente);
  • Exploração de diversos materiais, texturas e consistências (massinha, geleca, tinta água, argila, areia, pedra, cola, barro...).
  • Brincadeiras com bonecos, animais, nomeando e apontando as partes do corpo;
  • Incentivar a subir e descer escadas, rolar, escorregar, balançar, brincar com bolas, na caixa de areia, cantar e dançar;
  • Exploração de imagens e fotos distribuídas em móbile, pisos, paredes da sala de aula e brinquedos;
  • Estimular a higiene corporal através da contação de história com fantoches;
  • Propiciar atividades diversificadas que envolvam ações de afeto e de valores.

Avaliação

Avaliaremos todo o processo observando suas relações com o grupo, com o corpo e com o espaço demonstradas através de atitudes cooperativas, e interesses, da curiosidade e integração.

Acompanhar a criança em seu desenvolvimento exige um olhar reflexivo obre seu contexto sócio-cultural e manifestações decorrentes do caráter evolutivo de seu pensamento. Significa respeitar a sua individualidade e gradativa conquista de conhecimento em todas as áreas.

Referências Bibliográficas

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília, DF: MEC, 1998.

RIZZO, Gilda-CRECHE. Organização, currículo montagem e funcionamento. 3ª Edição. Rio de Janeiro, 2003.

ABRAMOWIC, Anete e Wastokop, Gisela. Educação Infatil: Creches. 2ª Edição. São Paulo, 1999.

AROEIRA, Maria Luiza Campos; Soares, Maria Inês B. e Mendes, Rosa Emilia de. A Didática de pré-escola - Vida Criança: Brincar e Aprender. São Paulo: F.D.,1996.

DELORS, Jacques et. al. Educação: Um tesouro a descobrir. Relatório para UNESCO da comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. 2ª edição. Brasília: MEC, UNESCO, 1999.

Centro:
Ensino Médio e Ensino Superior
Rua Princesa Isabel, 438 Centro
89201-270 Joinville/SC
(047) 3026-8000
Saguaçu I:
Educação Infantil e Ensino Fund. 1ª a 4ª
Rua Guaratuba, 200 Saguaçu
89221-660 Joinville/SC
(047) 3026-8000
Saguaçu II:
Programa Bilíngue
Rua Mafra, 84 Saguaçu.
89221-665 Joinville/SC
(047) 3026-8000
Saguaçu III:
Ensino Superior e Ensino Fund. 5ª a 8ª
Rua Mafra, 84 Saguaçu
89221-665 Joinville/SC
(047) 3026-8000