2008 - Jardim B - Meu corpo é fascinante

Meu corpo é fascinante

Jardim B



Diretora: Cladis Lengler Lermen
Coordenadora: Raquel Cristina Wolter
Professoras: Francine Nass
             Maira F. G. Koerbel
             Solange Marília da Silva



Justificativa

Na infância, é natural que as crianças queiram saber tudo sobre o corpo, porque é o período no qual ocorrem as descobertas. Braços, pernas, mãos, enfim, o corpo humano vai aos poucos sendo desvendado pela curiosidade. O respeito a si mesmo parte do conhecimento do próprio corpo, suas capacidades e limitações. Ao se conhecer, a criança torna-se capaz de relacionar-se com os seres vivos e o meio ambiente.

O movimento corporal, segundo o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (BRASIL, p.15, 1998), "É uma importante dimensão do desenvolvimento e da cultura humana, as crianças se movimentam desde que nascem, adquirindo cada vez mais, um maior controle sobre seu corpo".

De acordo com Borges (p.133, 2002), "Devemos conhecer o corpo, a sua composição, a sua beleza e a sua postura, não apenas ter um corpo, mas essencialmente, ser um corpo, permitir que esse corpo se manifeste e se expresse".

O autor Maragon (p.74, 2006), nos afirma que, "Quanto mais experiências corporais a criança tiver, maiores as chances de refinar seus movimentos".

Segundo Arribas (p. 5, 2004), "A possibilidade de aprender a própria anatomia e as diferenças entre a sua e a das demais crianças é outra fonte de aprendizagem prazerosa para a criança, que não pode se desperdiçar".

A diversidade cultural e diferenças físicas serão aspectos abordados durante o projeto "O meu corpo é fascinante", ampliando a visão das crianças para as diferentes raças, etnias, aspectos físicos, semelhanças e diferenças entre os seres humanos. Desvendando a importância de cada pessoa como ser importante e único dentro do seu grupo.

 

A capacidade humana de perceber e diferenciar formas facilita sua memorização e permite associações, agrupamentos ou divisões. Instrumentar a criança para a percepção de si como ser, separada da natureza e do mundo exterior possibilita uma tomada de consciência de seu espaço interior (DERDYK p.114, 1990).

 

A exploração das partes do corpo se iniciará partindo das mais funcionais e visíveis para progressivamente explorar todo o corpo humano, conforme a curiosidade das crianças. Com a percepção global do corpo, a criança inicia a etapa da tomada de consciência de cada segmento corporal e a sua função.

 

A tomada da consciência da forma é fundamental para o processo de desenvolvimento gráfico e do pensamento visual. A percepção da forma facilita a memorização desta que existe porque o olho humano è capaz de diferenciá-la de outras formas (DERDYK, p.103, 1990).

 

A criança começa a se perceber como ser, além da estrutura básica corporal (cabeça, tronco e membros) e começa a desenhar a forma humana rica em detalhes (sobrancelhas, cílios, orelhas, mãos, pés, dedos, entre outros). Esta forma de expressão demonstra que a criança começa a perceber que todos os órgãos em nosso corpo são importantes e desempenham funções diferentes e únicas.

 

Todo ser humano tem uma imagem de si mesmo, de seu corpo, de seu corpo em movimento. A imagem corporal da criança pode ser definida como todas as respostas mensuráveis que formula em relação às dimensões, à forma e aos componentes de seu corpo, assim como em relação às capacidades para o movimento que ela percebe de seu corpo e as interações deste com o ambiente (CRATTY, 1982 apud ARRIBAS p.67, 2004)

 

A cada descoberta sobre o corpo humano, novos conhecimentos serão agregados aos já existentes, contribuindo para desenhos cada vez mais elaborados. Segundo Derdyk (p.104, 1990), "A construção da figura humana, em sua gênese é um ótimo pretexto para observarmos o mapa da ampliação da consciência, [...] é um convite para flagrarmos o processo de construção da visão de mundo da criança".

"A criança não desenha o que vê, mas o que sabe o que sente. Seu saber é seu sentir e perceber. O desenho da figura humana não tem intenções explicitamente anatômicas, simétricas e referenciais". Com base em que o autor Derdyk (p.119, 1990), nos afirma acima, se ressalta a importância de a criança ter a liberdade de se expressar através do desenho, partindo de sua criatividade e conhecimento de mundo.

As sensações que nosso corpo pode desempenhar serão exploradas através de nossos cinco sentidos: tato, olfato, paladar, visão e audição. A ampliação do conhecimento e interiorização destes, ocorre através da exploração do meio em que a criança está inserida, proporcionando o desenvolvimento motor.

Para que a criança tenha consciência de seu corpo é importante que ela perceba a sua importância e cuidados que devemos ter com ele. Serão exploradas em nosso projeto questões de higiene, alimentação e saúde, como a importância de ter uma alimentação balanceada e rica em frutas e verduras, higiene para o nosso bem-estar e saúde.

Os hábitos desenvolvidos pela criança reforçam a sua autonomia. "Os hábitos que se adquirem nos primeiros anos adaptam-se ao modo de ser de cada um. [...] Desse modo os hábitos convertem-se em valiosos recursos de identidade pessoal". (ARRIBAS, p. 89, 2004)

A elaboração deste projeto evidencia que desvendar e descobrir o nosso corpo humano é uma tarefa fascinante e prazerosa, podendo se caracterizar como uma fonte de conhecimentos, de atualizações, de habilidades, de construção cognitiva, afetiva e social. Tendo como ponto de partida: o conhecimento de mundo da criança, suas curiosidades, permeadas com conteúdos sobre a importância de nosso corpo, suas funções e saúde.

Objetivo geral

Despertar na criança a consciência de seu corpo, o conhecimento de suas partes, funções e cuidados; para que perceba suas possibilidades e limitações, diferenças e semelhanças quanto às raças, etnias, entre os seres humanos e a importância de cada pessoa como ser único.

Objetivos específicos

  • Conhecer as partes do corpo e aprender a nomeá-las;
  • Reconhecer a função de cada parte e órgão de nosso corpo;
  • Incitar a curiosidade sobre as partes que compõem o corpo humano, externas e internas;
  • Estimular o respeito a si mesmo, suas capacidades e limitações;
  • Proporcionar a percepção do próprio corpo e expressão desta imagem através do desenho;
  • Desenvolver a percepção de mundo da criança através dos cinco sentidos;
  • Estimular a importância de ter uma alimentação balanceada e rica em frutas e verduras;
  • Ampliar a percepção da criança de sua autonomia em momentos de higiene para o bem-estar do nosso corpo e saúde.


Conteúdos conceituais

  • Estudo sobre o corpo humano, partindo do conhecimento prévio das crianças e curiosidades;
  • Reconhecimento das partes do corpo;
  • Apresentação dos cinco sentidos;
  • Associação das partes do corpo com a sua função;
  • Aprendizado de músicas, brincadeiras e jogos que envolvam o corpo;
  • Apresentação do alfabeto, partindo da letra inicial de cada criança;
  • Apresentação das vogais e objetos que iniciam com cada letra;
  • Correspondência termo a termo com as letras do nome;
  • Estimulação da noção de tempo através do calendário;
  • Apresentação dos números de um a trinta;
  • Reconhecimento dos números até cinco;
  • Contagem numérica;
  • Classificação, seriação.
  • Seqüência lógica com 3 atributos;
  • Consciência fonológica.


Conteúdos procedimentais

  • Identificar as partes do corpo;
  • Diferenciar e reconhecer características físicas, expressões faciais, corporais e gestuais;
  • Reconhecer a importância dos cinco sentidos;
  • Associar o número à quantidade, através do corpo (contagem numérica com os dedos das mãos ou pés);
  • Percepção do corpo: peso, altura, cor dos olhos, cor dos cabelos, entre outros;
  • Representação da imagem da figura humana com os detalhes de todas as partes que a compõem;
  • Ampliar a identificação dos fonemas através de exercícios de consciência fonológica;
  • Identificar semelhanças e diferenças entre os seres humanos;
  • Realização de movimentos direcionados com o corpo;
  • Reconhecer a importância de ter bons hábitos de higiene corporal e dos alimentos;
  • Aperfeiçoar as coordenações motoras, fina e ampla;
  • Noção de esquema e imagem corporal.


Conteúdos atitudinais

  • Valorização do seu corpo;
  • Desenvolvimento da auto-estima;
  • Respeito a si mesmo, suas capacidades e limitações;
  • Convivência em grupo, percepção de si e do outro;
  • Interação com os amigos em momentos de vivências corporais;
  • Respeito às diferenças físicas, étnicas e culturais;
  • Conscientização da importância de cada um dentro do grupo;
  • Aquisição de atitudes e práticas pessoais saudáveis


Desenvolvimento

  • Explorar o corpo humano e suas partes através de livros, cartazes e partes do corpo;
  • Ouvir o coração através do instrumento médico "estetoscópio";
  • Trocar curiosidades sobre o corpo humano com as famílias dos alunos;
  • Confecção de diferentes figuras humanas com as formas geométricas;
  • Confecção do corpo humano com massa de modelar;
  • Vídeos sobre o corpo humano;
  • Busca de sua história do nome, através de relatos da família;
  • Contações de histórias;
  • Confecção do livro do projeto;
  • Aprendizado de músicas, jogos e brincadeiras que envolvem o corpo;
  • Construção de gráficos explorando as características físicas dos amigos da sala;
  • Brincadeiras direcionadas que envolvam de movimentos, equilíbrio, lateralidade e ritmo;
  • Rodas cantadas;
  • Confecção do livro "O meu corpo é fascinante";
  • Confecção do livro "Os Cinco Sentidos";
  • Exposição.


Avaliação

As crianças serão avaliadas durante todo o projeto através de atividades e vivências corporais coletivas e individuais realizadas conforme a descoberta de novos conhecimentos sobre o assunto. Esta avaliação acontecerá de forma descritiva, observando o desempenho da criança diante de diferentes momentos e situações que estará vivenciando. Como fechamento deste projeto, organizaremos uma exposição, com atividades confeccionadas pelas crianças, valorizando e manifestando as diferentes linguagens.

Referências Bibliográficas

ARRIBAS, Teresa Lleixá. Educação infantil: desenvolvimento, currículo e organização escolar. Tradução Fátima Murad. 5ª Ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.

BORGES, Célio José. Educação Física para o Pré-Escolar. 5ª Ed. Rio de Janeiro: Sprint, 2002.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília, DF: MEC, 1998.

DERDYK, Edith. O desenho da figura humana. Série: Pensamento e ação no magistério. Fascículo 15. São Paulo: Scipione, 1990.

MARANGON, Cristiane. Pé (e mão) na estrada. Revista Nova Escola. São Paulo: Editora Abril. Dez. 2006.

Centro:
Ensino Médio e Ensino Superior
Rua Princesa Isabel, 438 Centro
89201-270 Joinville/SC
(047) 3026-8000
Saguaçu I:
Educação Infantil e Ensino Fund. 1ª a 4ª
Rua Guaratuba, 200 Saguaçu
89221-660 Joinville/SC
(047) 3026-8000
Saguaçu II:
Programa Bilíngue
Rua Mafra, 84 Saguaçu.
89221-665 Joinville/SC
(047) 3026-8000
Saguaçu III:
Ensino Superior e Ensino Fund. 5ª a 8ª
Rua Mafra, 84 Saguaçu
89221-665 Joinville/SC
(047) 3026-8000